Av. Paulista recebe escultura da artista plástica Tomie Ohtake

O sonho da artista plástica Tomie Ohtake de ter uma peça sua exposta na principal avenida de São Paulo foi, finalmente, realizado.

Na tarde de ontem, a avenida Paulista ganhou a última obra pública da artista, que morreu em fevereiro deste ano, aos 101 anos. A peça foi elaborada há três anos e construída a partir de um croqui de cerca de 40 centímetros de altura. Resultado de um projeto desenvolvido por Ohtake em parceria com a Associação Paulista Viva, a escultura, que teve o patrocínio do Banco Citi – que come-mora 100 anos no País -, tem sete toneladas e 8,5 metros de altura. Ela pode ser vista entre as alamedas Pamplona e Campinas, na altura do número 1.111 da via, sede do banco.

Produzida em aço, a escultura foi pintada com tinta contra pichação nas cores vermelha, na face externa, e prata, na interna. Na segunda-feira, quem circulou pela Paulista já pôde apreciar a obra, que recebia os últimos retoques para a inauguração. Segundo o presidente do Instituto Tomie Ohtake, Ricardo Ohtake, um dos filhos da artista, a mãe certamente diria que a escultura é uma homenagem à cidade, classificando a peça como uma “obra reversa”, sem forma definida.

“A Tomie gostava muito de fazer obras públicas. Ela considerava que essa era uma maneira de as pessoas tomarem gosto pela arte sem precisar visitar um museu ou ir a uma exposição”, diz ele, completando: “A escultura da Paulista tem a cara, os traços da obra da minha mãe. Quem olhar certamente vai reconhecer seu trabalho.”

A instalação foi aprovada pelo Departamento de Patrimônio Histórico em agosto e, segundo a autorização, o banco deve ficar responsável pela manutenção da escultura. Vale lembrar que o desejo da artista era que a escultura fosse colocada na praça do Ciclista, na região da Consolação. Porém, como noticiado em agosto deste ano pelo São Paulo Shimbun, o secretário de Cultura de São Paulo, Nabil Bonduki, alegou que uma equipe de especialistas em monumentos da secretaria considerou inviável essa localização. Além disso, já havia a intenção da Prefeitura de fazer, no local, um monumento em homenagem aos ciclistas que faleceram em acidentes na Paulista.

Tomie Ohtake nasceu no Japão em 21 de novembro de 1913. Aos 23 anos ela veio ao Brasil, onde acabou se naturalizando. A artista plástica foi uma das maiores representantes do abstracionismo. Além de participar de quase 400 mostras coletivas, recebeu 28 prêmios e tem obras nos jardins do Museu de Arte Contemporânea de Tóquio e do Mori Museum, também na capital japonesa.

Em mais de 50 anos de carreira, a artista participou de 20 bienais internacionais e fez mais de 120 ex-posições individuais no Brasil e no exterior. Tomie também fez aproximadamente 50 intervenções urbanas em cidades do Brasil e do exterior.

Continua…(impresso)

0 Comentários

Deixar um comentário

Login

Bem vindo! Entre na sua conta

Lembrar de mim Esqueceu sua senha?

Lost Password