Garça comemora 110 anos da imigração em tradicional festival de cerejeiras

Paisagem com cerejeiras no local do evento (Foto: Divulgação)

A florada das cerejeiras começou no Brasil, apesar de tímida devido à falta de chuva, e decora o interior de São Paulo, como em Garça. Na cidade distante 400 km da capital paulista, a flor símbolo do Japão do tipo Okinawa será cenário do tradicional “Cerejeiras Festival”, que nesta 32ª edição celebra os 110 a-nos da imigração japonesa no Brasil.

“Contaremos com a presença do cônsul-geral do Japão (Yasushi Noguchi) na abertura e teremos um memorial com fotografias, objetos, kimonos, tudo da época da imigração e guardados por famílias (nikkeis) de Garça, que hoje são 150”, diz o coordenador Shigueki Koyama, presidente do Nikkey Clube de Garça.

Ontem, em retribuição à visita, o prefeito de Garça, João Carlos dos Santos, entregou ao cônsul a declaração de Hóspede Oficial do Município. Juntos, eles fizeram o plantio de uma muda de cerejeira no Jardim Japonês, no local do festival.

Pela comemoração especial, mais de 40 atrações tipicamente japonesas foram incluídas na programação preparada também pela Prefeitura de Garça, que considera o festival o maior evento da cidade.  Taikô, dança tradicional, animê e mangá, artes marciais serão apresentados durante quatro dias, de ontem a domingo. Na primeira noite, o cantor Nobuhiro Hirata, presença constante, foi uma das atrações.

Cerca de 300 mil pessoas são esperadas no “Cerejeiras Festival”, vindas tanto de cidades próximas como distantes. “No sábado, virão de três a quatro ônibus de São Paulo. Alguns irão posar aqui, pois são de 4 a 5 horas de viagem. O tempo tá firme, só as cerejeiras que ainda não estão 100% abertas. Amanhã (hoje) é feriado do padroeiro (São Pedro) da cidade, por isso fazemos o festival sempre nesta época”, explica Koyama.

Continua…(Impresso)

0 Comentários

Deixar um comentário

Login

Bem vindo! Entre na sua conta

Lembrar de mim Esqueceu sua senha?

Lost Password