Carro japonês ‘Tachi Neputa’ é destruído por incêndio na cidade de Mogi das Cruzes

O carro alegórico japonês Tachi Neputa (Foto: São Paulo Shimbun)

O “Tachi Neputa”, carro alegórico japonês que fez sucesso no Sambódromo no Carnaval deste ano, no desfile da escola de samba Águia de Ouro – que este ano cantou os 120 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão – foi destruído em um incêndio, ocorrido na madrugada do dia 4 de junho, no Centro Esportivo da Associação Cultural de Mogi das Cruzes (Bunkyo).
Confeccionado em papel de arroz resistente à chuva, o carro media 15 metros de altura e foi doado pela prefeitura de Goshogawara, na província de Aomori, ao Instituto Paulo Kobayashi (IPK) e à Águia de Ouro.
Após a participação de sucesso no Carnaval, ficou definido que o carro ficaria no Brasil, sem custos, sendo emprestado, quando houvesse interesse, aos principais eventos da comunidade nipo-brasileira. O primeiro foi justamente a 30ª edição do “Akimatsuri”, em Mogi das Cruzes, onde, pela primeira vez, o carro ficou à disposição do público para tirar fotos e conferir de perto a beleza.
Segundo o presidente do Bunkyo de Mogi das Cruzes, Kiyoji Nakayama, após a apresentação do carro, sem ocorrência nos quatro dias de festa, realizada em dois finais de semana de abril, a alegoria foi deixada montada, em um local aberto, porém, 15 dias depois, ainda sem uma explicação oficial, pegou fogo.
“É lamentável. Nunca passou na nossa cabeça que algo do tipo poderia ocorrer. Nossa intenção era que a cultura japonesa, através da presença do carro, fosse ainda mais divulgada. Realmente é muito triste”, afirma o presidente do Bunkyo.
Ainda de acordo com ele, a polícia isolou completamente a área e ainda investiga o que pode ter provocado o incêndio. “A perícia está fazendo o trabalho, mas ainda não temos informações do que pode ter causado o fogo. Estamos aguardando uma posição oficial”, comenta.
O incêndio também foi lamentado pelo presidente do IPK, Victor Kobayashi, que, como alento, lembra que “o carro teria o mesmo fim, no segundo semestre deste ano”. “Infelizmente é um fato triste que ninguém espera, mas acabou ocorrendo. Porém, de qualquer forma, já seria incinerado na Receita Federal, em Santos, no final do ano”, revela ele, apontando que a ideia inicial de levar o carro para outros eventos da comunidade não caminhava como o planejado.
“O pessoal de Aomori ficou super feliz quando enviei as matérias que saíram sobre a presença do carro no Akimatsuri. Porém, diversos eventos, entre eles, o Festival do Japão, já tinham declinado a participação devido ao alto custo do transporte e montagem, que chegava a mais de R$ 50 mil.”
O “Tachi Neputa” foi o primeiro deste porte que saiu do Japão e também o primeiro carro estrangeiro utilizado no Carnaval brasileiro. Antes de desembarcar por aqui foram necessários meses de negociação, além da disponibilidade de 15 containers para trazer todo o material e a vinda de uma equipe de 13 técnicos japoneses para a montagem. Para ser transportado para a cidade de Mogi, foram usadas mais de 15 carretas.
Mesmo após o ocorrido, Kobayashi acredita que o restante do carro terá que ser enviado para a incineração, já que sobrou toda a estrutura, os ferros e as lanternas. Os responsáveis, porém, aguardam o fim do trabalho da perícia para tomar as providências necessárias. “Além da perícia da Polícia Civil, também estão trabalhando no caso os responsáveis pela Receita Federal, para descobrir o que ocorreu. Todo o local está isolado e estamos esperando a liberação”, lembra.
Ao que parece, a bruxa estava solta na edição deste ano do “Akimatsuri”. Antes da festa, policiais civis do Setor de Investigações Gerais recuperaram parte dos ingressos que haviam sido furtados.

Carro alegórico Tachi Neputa no Carnaval SP 2015 (foto: São Paulo Shimbun)
Carro alegórico Tachi Neputa no Carnaval SP 2015 (foto: São Paulo Shimbun)

0 Comentários

Deixar um comentário

Login

Bem vindo! Entre na sua conta

Lembrar de mim Esqueceu sua senha?

Lost Password