Blocos de Carnaval homenageiam o bairro da Liberdade e as comunidades orientais

Japonesa Miku Oguchi participa do evento (Foto: São Paulo Shimbun)

São Paulo, até pouco tempo, era conhecida como “túmulo do samba”, porém, há pelo menos cinco anos, a cidade tem mudado essa visão, graças aos blocos de rua, que vêm tomam as ruas paulistanas e já começam a virar atração turística.

Em 2018, a animação chegou à comunidade oriental, incluindo os nipo-brasileiros. Amanhã, sábado e domingo, algumas ruas da Liberdade estarão reservadas para quem quiser se divertir em uma homenagem ao bairro. Durante os três dias, três blocos prometem agitar a folia, que tem como tema: “Bairro da Liberdade: Em prosperidade com as comunidades asiáticas”. Na última segunda-feira, uma reunião na Associação Cultural e Assistencial Liberdade (Acal) definiu os últimos detalhes do evento, entre eles, o percurso que será percorrido pelos participantes.

De acordo com os responsáveis, a concentração será na rua Galvão Bueno, 88. De lá, partirá para as ruas dos Estudantes; Conselheiro Furtado; Conde do Pinhal; da Glória; e retorna para rua dos Estudantes, com a dispersão ocorrendo no mesmo local da partida.  Também ficou definido que, amanhã, a partir das 18 horas, a animação ficará por conta do Bloco Faísca, que contará com representantes da cultura coreana. À frente da bateria estará a nikkei Elga Yuri Shitara, que, recentemente, foi capa de uma revista de nu feminino. O término previsto é às 21 horas.

No sábado, a partir das 14 horas, será a vez dos japoneses. A apresentação será do Bloco Eco Campos Pholia. O desfile tem previsão de acabar às 17 horas. A musa do bloco será a nikkei Arienne Kawahira, que é uma das cinco coelhinhas de uma revista do mês de janeiro. Durante o desfile, participam integrantes de grupos de taikô, além de cosplayers e também o tradicional “Leão de Okinawa”.

Por fim, no domingo, das 14 às 17 horas, será a vez do Bloco Fuzuê, com apresentações da cultura Taiwanesa. Destaque para uma presença especial, da dançarina japonesa Miku Oguchi, que começou a carreira no Carnaval paulistano em 2015, como a madrinha da bateria da Águia de Ouro, que, na ocasião, homenageou os 120 anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação entre Brasil e Japão. Este ano, ela desfila pela Unidos do Peruche.

Continua…(Impresso)

0 Comentários

Deixar um comentário

Login

Bem vindo! Entre na sua conta

Lembrar de mim Esqueceu sua senha?

Lost Password