150 anos da imigração japonesa no Havaí mostram a miscigenação dos gannenmono

Príncipe Akishino discursa durante a cerimônia (Foto: São Paulo Shimbun)

O Brasil e o país com a maior comunidade japonesa fora do Japão. Mas longe de ambos, o Havaí também conta com uma ex-pressiva população nikkei (40%).

Na cerimônia comemorativa dos 150 anos da imigração japonesa dos gannenmono, como são chamados os japoneses do 1º ano do desbravamento, o que menos se viu foram rostos típicos do Japão.

Descendentes loiros da 8ª geração surpreenderam não só os nikkeis participantes de vários países como, certamente, os príncipes Akishino e Kiko.

Muito aplaudido durante a cerimônia, o casal imperial, ao contrário da Convenção Nikkei, não ficou no palco. Os príncipes acompanharam a programação inicial sentados na primeira fila da plateia, mas, Akishino discurso aos presentes e, mais uma vez, expressou simpatia às pessoas afeta-das pela erupção do vulcão Kilauea, que forçou muitos moradores a evacuar suas casas na Ilha Grande do Havaí. Ao todo, 82 casas e outras estruturas já foram tomadas pela lava do Kilauea.

Durante o evento, a história do 1º grupo de cerca de 150 pessoas que deixaram o Japão em junho de 1868 para trabalhar em plantações do Havaí foi completamente detalhada por descendentes e professores doutores.

Continua…(Impresso)

0 Comentários

Deixar um comentário

Login

Bem vindo! Entre na sua conta

Lembrar de mim Esqueceu sua senha?

Lost Password