Ex-secretário de Cultura de São Paulo assume a presidência da Japan House

Noguchi e Araújo em visita ao São Paulo Shimbun (Foto: São Paulo Shimbun)

A espera terminou. Depois de quase 100 dias com o cargo de presidente sendo ocupado por um interino, a Japan House confirmou oficialmente o novo dono do posto. Trata-se de Marcelo Mattos Araújo, que, recentemente, deixou a presidência do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), responsável pela gestão direta de 30 museus federais.
Araújo substitui Ângela Hirata, que, desde a saída, em junho, assumiu o cargo de conselheira especial, mas deixa definitivamente a Japan House com a entrada do novo presidente. Já o vice-presidente, Carlos Roza, que estava como interino e aguardava a escolha definitiva do Japão, em parceria com a Dentsu e o apoio do Consulado do Japão em São Paulo e da Embaixada do Japão em Brasília, retorna à sua função natural.

Em visita ao São Paulo Shimbun, o novo presidente da Japan House confirmou que seguirá com o objetivo de apresentar o Japão contemporâneo aos brasileiros, garantindo que, em um primeiro momento, manterá a política de gratuidade do espaço. “A ideia é seguir com o que foi implantado desde o início do projeto e que deu certo, que foi a gratuidade. Em paralelo, buscar outras fontes de financiamento, como patrocínio de empresas”, disse ele.

A preocupação maior ocorre porque o governo japonês disponibilizou para a manutenção da Japan House um orçamento de US$ 30 milhões, por quatro anos, até março de 2019, exigindo a sua autossustentabilidade depois desse período. Porém, de acordo com o cônsul-geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi, já há uma negociação em andamento, junto ao Ministério das Relações Exteriores do Japão, que solicitou um orçamento para a manutenção do repasse a partir de abril de 2019. No entanto, nada está definido.

Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e especialista em museologia pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, além de doutor pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, Marcelo Mattos Araújo já foi secretário da Cultura de São Paulo, além de diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo por dez anos (de 2002 a abril de 2012), numa gestão bastante elogiada por pro-fissionais do setor. Também foi diretor do Museu Lasar Segall, em São Paulo, instituição ligada ao Ibram

Continua… (Impresso)

0 Comentários

Deixar um comentário

Login

Bem vindo! Entre na sua conta

Lembrar de mim Esqueceu sua senha?

Lost Password